CHUVA DE PRÉ-CANDIDATOS MOVIMENTA BALNEÁRIO CAMBORIÚ

L. Pimentel
Fotos de arquivo pessoal dos possíveis pré-candidatos

Os meios políticos de Balneário Camboriú, mesmo com todos os problemas advindos da pandemia do coronavírus, estão em constante movimento desde o último dia 04 de abril, data final para as filiações partidárias e trocas de partido.

Claro que um grande número de pré-candidatos já havia sido determinado pelas siglas correspondentes. Porém, muitos pretendentes, mesmo com suas filiações em dia, ainda buscam um lugarzinho ao sol, a fim de colocarem seus nomes à disposição do eleitor balnear, especialmente para a Câmara de Vereadores. Durante o período que antecedeu a data prevista em lei para as filiações, teve muita briga interna em diversos partidos (briga no bom sentido, claro), tantos eram os nomes e tantas as ideologias conflitantes dentro das agremiações.

Segundo se informa, o comando do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) determinou que o partido não aceitasse ninguém que não fosse intimamente ligado com as determinações da sigla. A presidente do PTB/Mulher Estadual, que também preside a agremiação partidária em BC, Andréia Sessim não se deixou dobrar mesmo com toda a pressão, não aceitando a filiação de nenhum vereador que está na ativa, seguindo à risca a decisão dos seus pré-candidatos. Entre os nomes aptos a concorrer a vereança estão a própria Andréia, a professora Zélia Zanella, que dirige a Escola Municipal Ariribá, Levi Elias, que preside a Colônia de Pescadores da Barra, Júnior Eifler e André Araújo, além de outros nomes que também compõem a nominata petebista.

Coronel Evaldo Hoffmann – Foto arquivo pessoal

Ainda sem partido, o Cel. Evaldo Hoffmann tem dito que irá manter sua pré-candidatura a prefeito, porém só deve se filiar a algum partido no último dia do prazo que ocorre quando das convenções partidárias no início de julho. Evaldo ressalta que a condição para candidaturas de militares é diferente, e que vai observar na íntegra esse regulamento.

Vereador Joceli Nazari – presidente do Cidadania

Joceli Nazari, que preside o CIDADANIA/BC já anunciou que o partido está com uma lista contendo 23 nomes, todos aptos a concorrer à Câmara Municipal. Entre esses nomes está o atual vereador, advogado Gelson Rodrigues, que pelo trabalho apresentado até aqui no legislativo balnear poderá conquistar sua reeleição.

Vereador Leonardo Piruka – presidente do PP

Outro nome certo que estará na briga é o do presidente do PP, o atual vereador Leonardo Piruka, que já se anunciou como pré-candidato a prefeito. Piruka lamenta que o partido tenha perdido um ótimo vereador, com a saída de Marcelo Achutti que foi para o MDB. Por outro lado destaca que o PP manteve sua base com importantes nomes como os do vereador André Meirinho, Fábio Flor, Lageano, assim como uma gama de importantes progressistas que fazem parte da sigla.

O vai e vem em tempos de eleição: o vereador Arlindo Cruz ingressou no PSD, partido pelo qual buscará sua reeleição. Ao explicar porque saiu do MDB, Arlindo afirmou que não foi expulso como disseram alguns comentários, e que não existe nada que comprove oficialmente isso, nem na executiva municipal nem na estadual.

Engenheiro Auri Pavoni – Foto facebook

O engenheiro Auri Pavoni, que conhece a fundo os meandros da administração de Balneário Camboriú, por já ter prestado seus serviços em várias oportunidades, e que hoje assessora com maestria ao prefeito Volnei Morastoni de Itajaí, acaba de se filiar ao PSDB. Auri estava em dúvida sobre em qual partido se filiaria, mas, com o aval do ex-prefeito e um dos maiores políticos de BC, Leonel Pavan, com a garantia deste de que será o candidato oficial dos tucanos nas eleições municipais deste ano, não teve dúvidas, entrou de corpo e alma para o time considerado um dos mais fortes da cidade. Agora pré-candidato, o empresário e engenheiro Auri Pavoni gostou da lista de nomes que lhe foi apresentada para a Câmara de vereadores.

Carlos Humberto – vice-prefeito de Balneário Camboriú

O vice-prefeito Carlos Humberto (PL) tem dito que seu partido está muito bem estruturado, o que lhe dá condições de aumentar o número de representantes no Legislativo. Ainda não está definido de Carlos Humberto comporá a chapa do prefeito Fabrício Oliveira, que recentemente trocou o PSB pelo PODEMOS, mesmo porque CH já demonstrou o desejo de alçar voos mais altos. Aguardemos…

Fabrício de Oliveira – prefeito de Balneário Camboriú

Mas não foi fácil a ida de Fabrício ao Podemos. A sigla teve e está tendo grande dificuldade para acomodar todos os candidatos em torno da reeleição de Fabrício de Oliveira. Segundo alguns colegas da imprensa balnear, até o início do mês havia dúvidas a respeito de nomes como: Omar Tomalih, Roberto Souza Junior, Marcos Kurtz, Chaves Júnior, Claudir Maciel e Anderson Santos. Mas todos eles devem estar atrelados à campanha juntamente com Fabrício. Mas não foi apenas o prefeito Fabrício de Oliveira que deixou o PSB. O vereador David La Barrica também deixou o partido que passa a ter o comando do advogado Valdir Zanella. La Barrica se filiou ao Patriotas.

Ex-prefeito Edson Renato Dias – Piriquito – MDB

O presidente do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) Dão Koeddermann, mesmo partido do ex-prefeito e pré-candidato Edson Renato Dias (Piriquito), acredita que além dos três vereadores que a sigla tem atualmente, a pretensão é eleger mais dois ou três para ficar com a maior bancada na Câmara Municipal a partir de 2021. Dão disse estar satisfeito com o resultado dos trabalhos realizados, e garante que Piriquito é um dos nomes que contam com grande aceitação popular, segundo pesquisas internas do partido.

Os partidos ainda se encontram em treinamento (uma espécie de concentração), a fim de que estejam em boa forma para as eleições deste ano. Eleições estas que podem passar de outubro para novembro ou mesmo dezembro em virtude da pandemia do coronavírus. Alguns terão candidatos à sucessão de Fabrício de Oliveira, outros aguardam para ver com quem estarão coligados. Lembrando sempre que nestas eleições as coligações estão permitidas apenas para a chapa majoritária. Na proporcional, para o Legislativo, não haverá coligações, o que, segundo entendemos, complicará em muito a eleição de todos os candidatos.