SERÁ MESMO QUE PAPAI NOEL EXISTE?

Dom Quixote

Se você acha que ele existe, então por que não dá as caras aqui pelas bandas do Brasil nesses momentos difíceis que estamos vivenciando? Exemplo: A reforma da Previdência definha e não anda, as outras reformas estão paralisadas, privatização é ainda um sonho distante, o custeio da máquina do Estado consumindo praticamente todo o dinheiro que é possível arrecadar, e ainda por cima, estourar o teto dos gastos públicos é o sonho de toda a manada de fura-tetos. O Governo está dividido, a Covid já matou 160 mil brasileiros e o que se discute no País? Se o SUS deve incluir na distribuição de vacinas a CoronaVac. Convenhamos hein, senhores!

E quais seriam os problemas que o presidente Bolsonaro vê na CoronaVac? Na verdade, nenhum, já que a vacina ainda está em fase de testagem e até agora não houve problemas. Mas a vacina tem, aos olhos de Bolsonaro, dois grandes defeitos: o laboratório é chinês e trabalha em cooperação com o Butantan, subordinado ao governador Doria. (Isso sim é um grande problema para o Bozo). E só porque Trump mandou sabotar os chineses, Bolsonaro obedece. Por sua vez, Bolsonaro manda sabotar Doria, e seus cordeirinhos subordinados obedecem.

Mas e daí? Daí que é perder tempo: mesmo se todas as vacinas em teste forem aprovadas, não serão suficientes. Iremos usar as chinesas, a inglesa, as americanas, ou não haverá o suficiente. Se a chinesa funcionar, será usada. Se não funcionar, não! É simples. Isso nos lembra do famoso poema de Cervantes: Riscando os cavalos! Tinindo as esporas! Través das coxilhas! Saí de meus pagos em louca arrancada! — Para quê? Pra nada! Na verdade, este poema não é de Cervantes, mas sim de Ascenso Ferreira. Mas o que importa, se até a discussão sobre isso está toda errada, por que o poema tinha de ser o certo?

ENQUANTO ISSO NO STF…

O presidente havia prometido um ministro “terrivelmente evangélico” para ocupar a vaga deixada no Supremo pelo ministro (hoje aposentado) Celso de Melo. Mais adiante prometeu alguém que tomasse Tubaína de gengibre com ele. Acabou acertando, mas despertou a ira de muito “evangélico” que estava de olho. O Católico Kassio Nunes talvez nunca tenha tomado Tubaína, mas vai tomar. E, se precisar, vai misturar com Diet Dolly e Licor de Ovos.

Vejamos as características de Sua Excelência: ele liberou aquele famoso cardápio de lagostas e vinhos premiados, o que o torna credor de alguma simpatia no Supremo. Não concorda com o cumprimento da pena após decisão em segunda instância, o que lhe traz a simpatia do PT, de boa parte dos parlamentares, e daquele senador que gosta tanto de dinheiro que mantém com ele relações profundas. Sua esposa já foi funcionária de senadores do PT. Por fim, já teria dito que nutre certa simpatia pelo chavismo. Talvez até possa vir a cumprir a ordem de Bolsonaro, de comprar arroz na Venezuela. Só é criticado pelos lavajatistas e pela ala mais radical do bolsonarismo. Mas será que os filhos do presidente iriam brigar com quem se opõe à prisão em segunda instância? Eles que estão mais enrolados que novelo de lã? Bolsonaro acertou em cheio: Kassio é o retrato do Brasil de hoje.

A turminha do Balaco Baco

A LEI E SEU RIGOR IMPLACÁVEL

Brasil, Meu Brasil brasileiro, meu mulato inzoneiro, vou cartar nos meus versos… Pois é, tão logo acharam aquele rolo de cédulas no cofrinho do senador, o país se alvoroçou: o ministro Barroso decidiu afastá-lo do mandato, mesmo sabendo apenas o esconderijo do dinheiro, sem investigar sua origem. Falou-se até em reunir o Comitê de Ética do Senado. (Mas o corporativismo por lá ainda fala mais alto… hoje é você, amanhã, quem sabe…) Na prática, o afastamento do mandato pelo STF ficou pra lá, a Comissão de Ética não se moveu, o senador pediu licença por 121 dias. Nós até achamos que Sua Excelência iria mesmo precisar de algum tempo de recuperação para sentar-se de novo na cadeira, mas a licença era só para dar posse ao suplente, por coincidência seu filho, que graças ao seu paizão terá um bom salário nos próximos quatro meses, fará nomeações à vontade, uma coisa fina.

Mas não é apenas o senador Chico cofrinho que mistura cargo com família. O suplente de Alcolumbre, presidente do Senado, é o seu irmão José Samuel. O senador Ciro Nogueira tem a mãe, Eliane, na suplência. O senador Eduardo Braga, a esposa, Sandra. O Senado aprovou emenda constitucional que proíbe parentes na suplência. Mas sabe como é, né? O rigor implacável da lei não é para os amigos. A emenda está parada há uns sete anos na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara. Pra que mexer no que agrada a todos?

E enquanto essa gente vai nadando de braçada ao sabor das ondas, o povo brasileiro (que só leva fumo) vai tendo que aguentar todo tipo de desmandos que vão desde os seus mais de 5.500 municípios, passando pelos 27 estados, DF até chegar ao Executivo Federal, Congresso Nacional, STF e derivados… E assim Caminha a Humanidade!